1 MAI 2017| Cultura & lazer | JM

Ashampoo_Snap_2017.05.01_18h09m40s_003_

Chegou à vila de Mafra, uma forma de arte urbana de que a pintura da fachada da discoteca Ouriços, na Ericeira, era até aqui o expoente máximo (ou único) no concelho.

Esta é uma arte que nasce nos anos 80 do século passado, a partir do movimento underground e do mundo dos graffiti nos Estados Unidos, enquanto uma forma de ver o mundo e de decorar o espaço urbano, tomando a designação global de Urban Art (ou Street art).

Esta obra que agora surgiu em Mafra funda-se na música e na relação da vila com esta nobre arte. Os carrilhões (que deixámos chegar ao estado deplorável em que se encontram) e 6 os órgãos da Basílica de Mafra (que foram recentemente recuperados), serão a base sólida em que se baseia a tradição musical da vila e a fonte da inspiração do artista.


A obra, muito bem concebida, marca bem a técnica e a qualidade do seu autor.

Como acontece com a esmagadora maioria das actividades do concelho, também esta obra, saída da pena e da imaginação de Nark, o graffiter, teve a colaboração da Câmara Municipal – até mesmo o underground, para emergir, necessita de se apoiar nos poderes.

Pub

Achou este artigo interessante, partilhe-o com os seus amigos!

VISITE TAMBÉM A PRIMEIRA PÁGINA DO JORNAL DE MAFRA

Partilhe com os seus amigos!