03 MAI 2017 | Curtas | JM

Uma conta bancaria aberta, mesmo sem realizar qualquer operação, é suficiente para o banco lhe cobrar uma comissão de manutenção que se junta ás comissões por produtos ou operações, ao cartão de débito e as transferências interbancárias.

Grande parte dos bancos portugueses cobra comissões de manutenção das contas bancárias, estas cobranças atingem em média de 50 euros por ano, ou seja, mais de 5 euros por mês. As despesas de manutenção penalizam quem tem menos recursos, contas com saldos médios mais baixos tem maiores despesas de manutenção.

No passado era possível, em algumas situações, a isenção destas despesas. As contas-ordenado, a adição produtos e serviços ou determinado saldo limite, deixaram de significar isenções, uma vez que alguns bancos criaram regras adicionais.

O Banco de Portugal recomendou que os bancos “deixassem de utilizar os saldos médios como factor de diferenciação do valor a cobrar a título de comissões de manutenção”, esta recomendação levou a que alguns bancos fixassem o valor de isenção em valores a rondar os 5 mil euros, tornando-se um valor inacessível, e outros passaram a cobrar uma comissão mais elevada a todas as contas.

As contas-ordenado deixaram de ser uma solução para a isenção da manutenção, existem bancos a exigir valor mínimo de salário na ordem dos 1500€ mensais e outros até já acabaram com estas contas. Agora são propostas contas pack, contas que que implicam uma mensalidade por um conjunto de produtos ou serviços que o cliente, muitas vezes, não necessita.

Se quer deixar de pagar as comissões de manutenção terá de optar pelos bancos Atlântico Europa, Banco CTT e BNI Europa ou então pelos bancos online.

Também as transferências interbancárias têm custos associados. As transferências interbancárias efectuadas ao balcão têm uma comissão, em média, superior a 6€. Até as transferências online, através do homebanking, já são alvo de comissões por parte de alguns bancos.

Opte por realizar as transferências no multibanco,  sendo este o único meio onde estas operações continuam a ser obrigatoriamente gratuitas.

Pub

Achou este artigo interessante, partilhe-o com os seus amigos!

VISITE TAMBÉM A PRIMEIRA PÁGINA DO JORNAL DE MAFRA

Partilhe com os seus amigos!