Vamos à farmácia | Devo desparasitar todos os anos?

Vamos à Farmácia | Ana Quintela

 

Devemos desparasitar todos os anos?

É comum ter na farmácia pais com receio de questionarem acerca dos parasitas intestinais. Muitos chegam a omitir mesmo o caso ao pediatra e dirigem-se primeiro à farmácia à procura de ajuda.

Embora existam diversos parasitas capazes de infestar os seres humanos, os mais comuns em Portugal são os oxiúros (Enterobius vermicularis) e as lombrigas (Ascaris lumbricoides). A infestação pode ocorrer em qualquer idade, sendo mais habitual em idade escolar, entre os 5 e os 14 anos.

As infestações parasitárias intestinais são transmitidas pela ingestão de ovos que normalmente se encontram na água ou em alimentos contaminados, ou são transmitidos junto de pessoas contaminadas, por contacto mão-boca ou por inalação. Após umas semanas estes parasitas chegam à idade adulta e começam a produzir ovos, que por sua vez podem ser transmitidos a outras pessoas infestando-as também.

 

Que sintomas causam os parasitas intestinais?

Normalmente existe muita comichão na região perianal, pois as fêmeas tendem a deslocar-se à noite quer para a região anal, quer vaginal para colocar os ovos. Nas crianças é comum existir mais irritabilidade, insónias, pesadelos e por vezes incontinência nocturna. De modo geral, os parasitas intestinais podem provocar perda de peso, alguns provocam anemia, náuseas, vómitos e diarreia. Este tipo de infestações podem ainda estar associadas a dor abdominal e até mesmo a febre.

 

Como prevenir ou evitar uma reinfestação?

É importante reforçar algumas medidas de higiene para lidar com infestações parasitárias. Pelo que se torna essencial a educação das crianças nesse sentido.

Mantenha as unhas sempre bem curtas e evite colocar as mãos na boca. Relembre os seus filhos que é fundamental lavar bem as mãos após qualquer ida à casa de banho. Mesmo que tenha crianças muito jovens, evite os banhos de imersão e opte por duches rápidos. Evite sempre o contacto com animais por desparasitar. É essencial que lave bem as mãos antes de preparar alimentos, lave bem as frutas e legumes e cozinhe bem a carne e o peixe.

 

Como se diagnostica uma infestação parasitária?

Em infestações mais prolongadas, já com muitos parasitas, estes podem até mesmo ser visualizados. Mas, noutros casos é necessário recolher amostras de fezes para observação ao microscópio dos ovos de forma a detectar o parasita causador da infestação.

No caso de infestações com oxiúros, que são muito comuns em Portugal, pode fazer-se um teste em que se coloca fita-cola na região perianal durante a noite, ficando ovos retidos nessa fita, que são posteriormente enviados para análise.

As análises ao sangue embora possam ser úteis para identificar situações de anemia decorrentes da infestação, não permitem reconhecer o parasita causador da mesma. Mas, normalmente mostram valores elevados de eosinófilos (tipo de glóbulo branco que aumenta consideravelmente de quantidade quando há infestação parasitária).

No caso de infestações com muitas lombrigas, é possível verificar algumas imagens cilíndricas através de radiografia ao abdómen.

 

Em que consiste o tratamento?

Os dois medicamentos mais utilizados em Portugal são o mebendazol e o albendazol (Pantelmin e Zentel). São dos medicamentos mais eficazes e têm um largo espectro de acção.

Os desparasitantes de toma única devem ser repetidos?

Qualquer um deles deve ser repetido 2 semanas após o tratamento inicial, pois estes medicamentos não destroem os ovos. Ou seja, repetimos o tratamento para assegurar que evitamos uma reinfestação.

 

A partir de que idade podem ser tomados medicamentos antiparasitários?

Inicialmente, quer o Pantelmin, quer o Zentel não estavam aprovados em crianças menores de 2 anos. Mas, neste momento já existem diversos estudos que comprovam a sua segurança entre o primeiro e o segundo ano de vida, sendo apenas recomendado que se reduza a dose para metade nesta idade. Antes dos 12 meses de vida a Organização Mundial de Saúde (OMS) não recomenda a sua utilização.

De notar, que durante a gravidez é desaconselhada a utilização de desparasitantes.

 

Suspeito de infestação por parasitas intestinais num membro da família. Que medidas tomo agora?

Deve procurar ajuda médica, para que se diagnostique o parasita causador da infestação e para que lhe seja recomendada medicação antiparasitária adequada. É fulcral que todos os elementos do seu agregado familiar façam o tratamento ao mesmo tempo. Deve reforçar os cuidados de higiene pessoais, mencionados previamente. Em casa, lave os lençóis e toda a roupa e objectos que contactem directamente com a pessoa infectada.

 

Devo tomar desparasitantes preventivamente todos os anos?

Há uns anos, em muitas famílias era de facto prática corrente desparasitar, pelo menos as crianças, todos os anos. No entanto, actualmente a OMS já não recomenda que o faça. Portugal deixou de ser um país com muitos casos de parasitas na população, pelo que com uma taxa de prevalência tão baixa só devemos desparasitar quando há de facto sintomas, ou em casos de adultos ou crianças que contactaram directamente com algum parasita.

Em suma, não se justifica desparasitar com medo que ocorra uma infestação. Queremos evitar o desenvolvimento de resistências aos antiparasitários, para que quando verdadeiramente necessários estes sejam eficazes.

Siga-nos nas redes sociais

Artigos Relacionados